Fontes

Produção – Fontes – Mitigação – Regulamentação – Tecnologia 

Distribuição das Fontes de Emissão

As principais fontes de emissão atmosférica de gases poluidores e particulados em processos siderúrgicos são: Coqueria, Alto-Forno e Aciaria.

A CETESB define da seguinte forma os principais poluentes:

Material Particulado: Material Particulado (MP), Partículas Totais em Suspensão(PTS) [<50μm]; Partículas Inaláveis (MP10) [<10μm]; e Fumaça (FMC).

SO2: Resulta principalmente da queima de combustíveis que contém enxofre, como óleo diesel, óleo combustível industrial e gasolina.

CO: É um gás incolor e inodoro que resulta da queima incompleta de combustíveis de origem orgânica

O3: “Oxidantes fotoquímicos” é a denominação que se dá à mistura de poluentes secundários formados pelas reações entre os óxidos de nitrogênio e compostos orgânicos voláteis, na presença de luz solar.

Hidrocarbonetos (HC): São gases e vapores resultantes da queima incompleta e evaporação de combustíveis e de outros produtos orgânicos voláteis.

Óxido de Nitrogênio (NO) e Dióxido de Nitrogênio (NO2):São formados durante processos de combustão. Em grandes cidades, os veículos geralmente são os principais responsáveis pela emissão dos óxidos de nitrogênio.

Enxofre Reduzido Total (ERT)(TRS): Sulfeto de hidrogênio, metil-mercaptana, dimetil-sulfeto, dimetil-dissulfeto, são, de maneira geral, os compostos de enxofre reduzido mais freqüentemente emitidos em operações de refinarias de petróleo, fábricas de celulose, plantas de tratamento de esgoto e produção de rayon-viscose, entre outras.

Emissão de CO2

Segundo SILVEIRA, em comparação com outros processos industriais, a siderurgia utiliza mais intensivamente o carbono, que atua simultaneamente como combustível e redutor na produção de ferro gusa em altos fornos.

Em ambas as funções, o resultado é a formação de grandes quantidades de CO2, quer como produto das reações de remoção do oxigênio dos óxidos de ferro (redução), quer como produto da combustão.

A autora afirma que embora importante, a produção de gusa não constitui a única fonte de emissão de Gases de Efeito Estufa (GEE) na siderurgia: um dos veículos da adição de carbono nos altos fornos é o coque, um dos produtos da destilação de uma mistura de carvões minerais em altas temperaturas que implica na formação de grandes volumes de gases condensáveis e não condensáveis, dentre os quais o CO2; o CH4 (metano) e NMVOC (Compostos Orgânicos Voláteis exceto metano).

Origem das Emissões de CO2 numa Usina Siderúrgica:

Coqueria

Queima do GAF ou COG.

Queima de outros combustíveis suplementares (óleo combustível; gás natural e outros).

Sinterização

Oxidação de finos de coque ou de carvão vegetal

Queima de GAF ou COG

Queima de outras fontes de carbono adicionadas ao processo

Alto Forno

Combustão do coque

Combustão dos finos de coque injetados nas ventaneiras

Redução dos óxidos de ferro

Decomposição dos fundentes (calcário e dolomita

Aciaria

Oxidação do carbono contido no aço.

Oxidação do carbono dos eletrodos (Forno Elétrico de Aciaria).

.

_______________________________________

Curso CEMS InCopmpany

Entenda como funciona um Sistema de Monitoramento Contínuo de Emissões.

Saiba quais são as partes do sistema e os requisitos de performance de operação.

Conheça os cuidados recomendados para manutenção do CEMS.

Compartilhe sua experiência nas aulas presenciais.

Saber +

_____________________________________

Produção – Fontes – Mitigação – Regulamentação – Tecnologia

www.ianalilita.wordpress.com

Copyrigth Trindade 2011