NORMA ISA101

Normalização para Interface Homem Máquina (IHM)

Por: Sergio Trindade

IHM

A Interface Homem Máquina (IHM), também conhecida popularmente de terminal de operação é o elo crítico entre os operadores e sistemas de automação. O operador humano depende da visualização e interpretação da IHM para ter um retorno do processo físico e realizar os ajustes adequados de parâmetros operacionais da planta. Uma IHM  fácil de entender dá opções claras para os usuários finais produz menos erros, aumentando a produtividade do operador, e reduzindo o estresse. Um projeto melhorado de uma IHM pode evitar perdas significativas para a empresa em termos de tempo e evitar desperdício de materiais.

No Brasil a norma NBR ISO 924111 define o termo USABILIDADE como a combinação de Efetividade, Eficiência e Satisfação do Usuário em um sistema. Esta mesma norma aponta como medidas de usabilidade: Facilidade de aprendizagem, facilidade de memorização e baixa taxa de erros. Pode-se citar alguns erros comuns em projeto de IHMs que comprometem sua usabilidade, como por exemplo: o uso inapropriado de cores com grande quantidade de códigos de cores, telas sem gráficos de tendência e sem informação de status, sem tela de visão geral e telas sem espaço suficiente.

A norma ISA 101 está em fase final de elaboração. O comitê ISA101 HMI (human machine interface) foi formada para estabelecer padrões, práticas recomendadas e relatórios técnicos relacionados com IHMs em aplicações de manufatura e processamento. Ele é voltado para aqueles responsáveis pela concepção, implementação, utilização, ou gerenciamento de aplicações IHM.

ciclo de vida para IHMs

A figura acima mostra o fluxo do ciclo de vida de desenvolvimento de uma IHM, proposto na norma ISA 101, incluindo padronização, projeto, implementação e operação.

A norma ISA 101 define a terminologia e os modelos para desenvolver uma IHM e os processos de trabalho recomendadas para mantê-lo de forma eficaz em todo o seu ciclo de vida.

Esta norma objetiva: Fornecer orientação para projetar, construir, operar e manter IHMs eficazes que resultem no controle mais seguro, mais eficaz e mais eficiente de um processo, sob todas as condições operacionais, além de melhorar as habilidades do usuário para detectar, diagnosticar e adequadamente responder a situações anormais.

Como exemplo numa IHM de alta performance as cores em geral são discretas, com poucos objetos exibindo cores chamativas. O desenho dos objetos é minimalista, reduzido ao essencial. Há objetos combinados, como o Chart com Bargraph e o Gráfico de Barras com o Gráfico de Linhas, que trazem informação de melhor qualidade a um baixo custo de processamento cognitivo, passando a atuar na prevenção de falhas e na redução de erros operativos, através do aumento da sua eficiência e proporcionando maior conforto ao usuário, permitindo maior facilidade de aprendizado e memorização.

O vídeo acima apresenta alguns elementos de uma IHM de alta performance.

Após a publicação desta norma o comitê da ISA pretende ainda publicar uma série de relatórios técnicos envolvendo: Desenvolvimento  de filosofia para IHM;  Desenvolvimento de um guia de estilo para IHM; Desenvolvimento de um guia de projeto para IHM;  Usabilidade e desempenho de IHMs; Especificação de compra para IHMs; Considerações de projeto para IHMs móveis.

Mais informações:

https://www.isa.org/intech/20140805/

_______________________________

www.ianalitica.com.br

Tags: , , , ,

Redes

Subscribe to our e-mail newsletter to receive updates.

Comentários fechados.